28.04.2021

Sua loja está pronta para a modernização do varejo?


Tudo o que era moderno ontem, hoje está obsoleto. Todos os dias, somos bombardeados com novas tecnologias e novos usos de antigos procedimentos. Com o início da pandemia do novo coronavírus, veio a necessidade de distanciamento social. Nesse momento, a tecnologia tomou a frente e resolveu problemas de muitas pessoas.

O “e-grocery”, como são chamadas as compras de supermercados feitas digitalmente, ganhou força com os aplicativos de entrega, como o Rappi e iFood. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (AbComm), compras em supermercados online chegaram a registrar aumento de 180% de março a dezembro de 2020. Já segundo a Ebit|Nielsen, dobrou o número de consumidores de e-grocery, mesmo com supermercados abertos.

Aplicativos de entrega passaram a fazer delivery de compras em supermercados. Na pandemia, segmento cresceu

NOVOS PASSOS

A Cencosud, empresa detentora de marcas com o G Barbosa, iniciou, no Rio de Janeiro, a operação da Spid35. A loja de conveniência tem a proposta de entregar produtos em até 35 minutos na região de operação (bairro Recreio dos Bandeirantes). E o que há de tão especial nisso? O fato de esse ser um supermercado digital. Todo o funcionamento da Spid35 é por aplicativo. O cliente não entra lá para comprar.

A sistemática é parecida com a que o consumidor já conhece: após realizar o pedido, ele pode acompanhar o andamento da entrega pelo próprio aplicativo, que está disponível gratuitamente e conta, ainda, com promoções exclusivas.

O sortimento da loja é de cerca de 1.500 produtos, com foco principal nas categorias de alimentos básicos, bebidas geladas, açougue, snacks, doces, refeições congeladas, perfumaria e bazar.

“Estamos bastante otimistas e confiantes no sucesso do Spid35, que vem atender a uma demanda importante de clientes que buscam qualidade, rapidez e praticidade nas compras de produtos de conveniência em supermercados. Nossa proposta tem foco total no atendimento, sempre antenados com as tendências do mercado”, afirma Sebastián Los, presidente da Cencosud Brasil.

Fachada da Spid35 | Foto: Divulgação

TENDÊNCIA MUNDIAL

A pandemia mudou também a forma de interação dentro das lojas. No exterior, já é possível ver com mais facilidade as lojas inteligentes. No Reino Unido, foi lançada no final de 2020 a Amazon Fresh.

Não há check-outs físicos. O cliente coloca a mercadoria no carrinho, gera um QR Code, paga e vai embora. Simples assim. Essas lojas funcionam usando os mesmos tipos de tecnologias encontradas em carros autônomos, como visão computacional, fusão de sensores e aprendizado profundo.

Essa tecnologia pode detectar quando os produtos são levados ou devolvidos às prateleiras e os mantém em seu carrinho virtual.

Cliente lê QR Code antes de iniciar as compras na Amazon Fresh, no Reino Unido | Foto: REUTERS/Henry Nicholls

DO LADO DE CÁ

Aqui em Alagoas, não é de hoje, é possível encontrar o “self checkout“. Em lojas como o Unicompra e a unidade Praia do Palato, o cliente passa as compras em um check-ou específico, sem interação com o operador de caixa, paga e vai embora.

Isso traz agilidade ao processo de compra. No cenário da pandemia, representa também a diminuição de contato com pessoas fora do círculo social e, portanto, um risco menor de contaminação para clientes e funcionários.

Em artigo publicado no site E-Commerce Brasil, Fernando Bravo opina: “No pós-pandemia, o formato digital de consumo tende a ocupar um espaço importante no varejo alimentar. Sabemos que sua expansão não será total nem acontecerá de uma hora para outra. Entretanto, é fato que a pandemia propiciou a quebra do paradigma do consumo de alimentos online — e elevou as pessoas a buscarem outras formas de consumir”.

Depois de ler tudo isso, voltamos à pergunta do início: a sua loja está pronta para a modernização do varejo?

No self checkout, o cliente passa as próprias compras, sem contato com operador
Dapal

Fique por dentro das novidades

Receba em seu e-mail tudo sobre nossos produtos e lançamentos